V Jornadas Empresariais AEP/Serralves nesta quinta-feira

Paulo Nunes Almeida - Direitos Reservados
Paulo Nunes Almeida – Direitos Reservados

Empresas e Universidades debatem “Portugal no mundo” no Porto

Gestores que multinacionais portuguesas e estrangeiras alinharão pontos de vista e experiências sobre o investimento no país e no exterior

O auditório da Fundação de Serralves, no Porto, volta a acolher nesta quinta-feira, dia 23, as Jornadas Empresariais que anualmente aquela instituição e a Fundação AEP organizam. Na quinta edição, haverá um debate alargado sobre o papel e o posicionamento de “Portugal no mundo”.

O propósito dos organizadores é colocar empresários, gestores e académicos a refletir em conjunto sobre cinco questões determinantes para a afirmação de Portugal na era da globalização: as ligações ao exterior, o investimento estrangeiro no país, a atividade e o investimento português além-fronteiras, o papel e a organização do nosso comércio externo e, por último, o contributo das universidades para a projeção de Portugal no mundo global.

Jaime Nogueira Pinto e Artur Santos Silva são dois dos oradores do encontro, que num dos seus cinco painéis juntará quatro gestores de empresas estrangeiras a operar no nosso país, entre os quais Lingjiang Xu, senior director da Fosun Europe Insurance. A seu lado, estarão Jónio Reis, da alemã Bosch, Mira Amaral, do Banco BIC, controlado por acionistas angolanos, e João Taborda, diretor da brasileira Embraer para a Europa, África e Médio Oriente.

“O sucesso da internacionalização de uma pequena economia aberta como a nossa passa, cada vez mais, pela cooperação entre os centros de conhecimento e as empresas. Se exportar é vital para a recuperação económica de Portugal, a captação de investimento estrangeiro e a criação de emprego não o é menos. Para isso, o país tem de fazer opções estratégicas e de estar dotado de estruturas e de um quadro regulamentar capazes de otimizar os esforços que as empresas e o sistema científico nacional estão a fazer para competir no mercado global gerando ganhos económicos e sociais para o país”, justifica Paulo Nunes de Almeida, presidente da Fundação AEP, satisfeito com o “naipe de oradores qualificados” que a organização conseguiu reunir.

“A experiência profissional e mundividência de todos eles vai propiciar, certamente, um debate interessante e uma série de pistas de trabalho interessantes paras as empresas internacionalizadas ou em processo de internacionalização”, antecipa Nunes de Almeida, que partilhará com Ana Maria Pinho Macedo Silva, administradora da Fundação de Serralves, a tribuna na sessão de abertura.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments