UMA VISÃO DIREITA: “Vá-se lá perceber isto…”

Vá-se lá perceber isto…

Ontem à noite, enquanto me dirigia para casa e passava no centro da minha cidade, no Toural em Guimarães, fui confrontado com o pedido de demissão do diretor de informação da RTP, numa notícia via rádio.

Motivo? Uma eventual cedência às autoridades policiais de imagens da manifestação do dia 14 de Novembro, realizadas em frente à Assembleia da República, filmagens essas não editadas nem transmitidas publicamente pela RTP.

Achei estranhíssima a demissão do diretor de informação apenas pelo motivo que veio à estampa e que, sinceramente, me criou alguma curiosidade por não a entender. Foi assim que tentei hoje aprofundar a notícia durante a hora do almoço.

E eis que sou novamente confrontado com a seguinte notícia: “Trabalhadores da RTP receiam entrega à polícia de imagens não editadas da greve”.

Fiquei intrigado e, honestamente, nem consigo acreditar que todo este alvoroço tenha como único fundamento a colaboração ou não, com as forças de segurança na identificação dos manifestantes desordeiros, por parte do dito serviço público.

E eis que vejo comentários de toda a índole na defesa da não entrega das imagens às autoridades policiais. Mais leio que a comissão de trabalhadores da RTP nos transmite que a entrega às autoridades policiais das imagens “coloca em causa os princípios deontológicos pelos quais se rege a profissão de jornalista, trai a confiança entre os jornalistas e as fontes – porque as pessoas numa manifestação são fontes de uma peça de informação, ainda que não identificadas – e, sobretudo, coloca em risco a integridade física de todos os elementos de qualquer equipa de reportagem, jornalistas e pessoal técnico, que no futuro sejam destacados para cobrir eventos semelhantes”.

E perante isto apenas me resta uma pergunta. Será que eu estou maluco ou todos os princípios de uma sociedade estão completamente invertidos por alguns???

A entrega de imagens não difundidas, filmadas com máquinas pagas por todos os portugueses e por profissionais que filmaram apenas aquilo que se passou em frente da Assembleia da República, o que é que tem a ver com defesa das fontes??? O que é a entrega de filmagens às autoridades policiais tem a ver com qualquer “atitude PIDESCA” do Governo, como já vi escrito em muitos comentários???

Estaremos num Estado de Direito ou num País de terceiro mundo?

Sim, porque a cedência destas imagens deveria e teria que ser pacífica e nada mais. Ajudar a identificar e julgar energúmenos, cuja única coisa que fizeram foi destruir património público e atentar contra a integridade física de polícias, deveria merecer o aplauso de todos nós.

Mas não. Manifestantes profissionais de cara tapada e gorro, calmos e serenos a dar ordens para o lado e a atirar cocktails molotov e pedras da calçada contra as autoridades policiais de Portugal, a queimar ecopontos e caixotes do lixo, na visão de alguns, devem ser protegidos.

Sinceramente nem sei o que pensar. Verificar que há quem no meus País ainda defenda a ocultação de imagens violentas para proteção de delinquentes, não tem sequer qualificação.

E quando um simples caso como este dá direito a abertura de telejornais e a demissão de diretores de informação da estação de televisão pública, começa a temer pelos valores que se pretendem incutir numa sociedade que se quer justa e ordeira. Começo a temer pelo caminho que se quer seguir.

As imagens, em bruto ou por embrutecer, só têm e devem ser cedidas. Porque as mesmas se destinam a proteger todo um povo e uma sociedade de determinados atos de vandalismo e violência. Porque as imagens apenas servirão para mostrar a verdade e nada mais que a verdade. O que as autoridades policiais pedem é a verdade e não montagens. Pedem as imagens da vida real, que foram filmadas por pessoas e não por qualquer realizador de cinema.

Quem tem medo da verdade?

A mim parece-me bastante claro quem tem medo da verdade. E preocupa-me que haja quem tendo filmado a realidade, que não a queira mostrar, como diz a comissão de trabalhadores. Porque não percebo em honra de que princípios e na defesa de que valores?

Porque afinal para que filmaram??? Porque têm direito a sonegar determinadas imagens captadas? Quantas vezes farão isto? Quantas vezes nos esconderão a realidade?

Estas perguntas ficarão certamente sem resposta. No entanto, a mim, intrigam-me bastante.

Até para a semana…

Rui Barreira
(escreve às quintas-feiras)
 

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments