Uma Visão Direita: “Já o programa do PS, esse já não existe. Já foi. O único programa que existe no PS é o manual de sobrevivência de António Costa”

Caro leitor,

Escrevo hoje, momento em que se inicia a discussão do programa de Governo da coligação Portugal à Frente, coligação essa que ganhou as eleições, conforme é reconhecido pelas pessoas de bem em Portugal.

Já sabemos que existe uma maioria negativa no parlamento, formada por partidos cuja única motivação é o ódio a quem recuperou um País, a quem devolveu a credibilidade a Portugal. O ódio a quem permitiu que se prometa dar tudo a todos, que se permita dizer que se pode pagar pensões e salários. O ódio a quem teve de tomar medidas difíceis para recuperar o País.

Mas será que essas medidas contaram alguma vez com o apoio do PS, da CDU ou do Bloco de Esquerda? Não, nunca. Nem do Partido Socialista, apesar de ter sido o “milagreiro” de mais uma chamada do FMI para Portugal. Mais uma e aí vão três.

Mas se estas medidas nunca contaram com o apoio destes partidos, porque será que nenhum deles agora aponta como possível a revogação de todas as medidas de austeridade já em 2015? Devolução já em 2015 de todos os salários da função pública? Subida do Salário mínimo para os 600€? Aumento da progressividade dos escalões do IRS ainda mais? Abono de Família e Rendimento Social de Inserção para níveis de 2011? O “roubo” da sobretaxa aniquilado? Diminuição da TSU para os trabalhadores? Atualização das pensões mais altas (já que as mais baixas foram sendo atualizadas)? Revogação da norma do Código de Trabalho que permite a contratação a prazo de desempregados de longa duração e jovens à procura do primeiro emprego? Tarifa de energia e gás reduzidas? IVA a 13% na restauração?

Não, nenhuma destas medidas vai ser aplicada desde já. E porquê? Porque quando se chega ao poder acaba-se a demagogia e as contas de sebenta e começa-se a trabalhar com dinheiro a sério. E para se atingir metas há que refrear os ânimos da mentira com que se brinda os portugueses ano atrás de ano.

Mas há disposições que se aplicam de imediato em caso de um Governo de Destruição Nacional. Quais? A revogação da privatização dos transportes terrestres de Lisboa e Porto. O PCP mantém o seu poderio nestas estruturas. E negociou com António Costa a sua sobrevivência. E António Costa como está disposto a tudo para governar concedeu. E assim continuarão os portugueses a sustentar com os seus impostos o poder de um e de outros.

Mas para se perceber muito do que se passa, basta uma leitura superficial dos três programas para verificar o que cada um já deixou cair…

Assim superficialmente:

Bloco de Esquerda:

– Chamavam-lhe a primeira ferramenta: A reestruturação da dívida? Já caiu.

– Diminuição do IVA eletricidade e gás para os 6%? Já caiu.

– Reposição do abono de família e respetivas bonificações, do Rendimento Social de Inserção anteriores e do Complemento Solidário para Idosos a níveis de 2010, quando o PS os cortou? Já caiu. Agora é só a 2011.

– Reescalonamento do IVA, com a redução à taxa mínima dos bens de primeira necessidade? Já caiu.

– Nacionalização e redireccionamento do sistema bancário? Já caiu.

E assim é. Quando a primeira ferramenta é aquela que desaparece no primeiro momento, estamos esclarecidos quanto à credibilidade dos seus representantes.

CDU:

Do programa da CDU uma simples referência: “II – PEC e Pacto de Agressão, expressão da política de direita de PS, PSD e CDS.” (sic)

Pois é caro leitor. Se o PCP votou contra o PEC apresentado pelo número um de Costa à data, o Eng. José Sócrates, o PCP viu a luz agora. O quanto não vale o poder público de transportes para as centrais sindicais… O quanto não vale esta máquina. Até Arménio Carlos já diz ser impossível atingir os 600€ de salário mínimo em 2016…

Já o programa do PS, esse já não existe. Já foi. O único programa que existe no PS é o manual de sobrevivência de António Costa.

Surpreendidos? Não?

Mas preparem-se. Porque desta vez a Grécia está mesmo aqui ao lado. E não foram eles que remaram para cá. Nós é que remamos para lá.

Dizia o último cartaz de António Costa: “O SEU VOTO É QUE DECIDE”.

E não é que, mais uma vez, não se cumpre? Seria pelas regras normais. Não pelas de António Costa.

Até para a semana.

Boa sorte Portugal!!!

Rui Barreira

Rui Barreira
Rui Barreira

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments