O FC Porto venceu este domingo o Boavista por uma bola a zero, no Bessa, numa partida referente à 23ª jornada da Liga de Futebol. Com este resultado, os dragões continuam a um ponto do líder do campeonato, o Benfica.

Ainda o jogo não tinha começado e já havia uma grande surpresa. O técnico portista, Nuno Espírito Santo, sentou no banco André Silva e fez entrar no onze inicial Óliver Torres. Que de resto teve um papel preponderante na vitória da equipa azul e branca e que teve na sua frente de ataque também Corona, Brahimi e Soares.

Do lado do Boavista, também aparece uma surpresa. O peruano Bulos estreou-se a titular, por troca com Schembri que ficou no banco.

Os dragões entraram com tudo no jogo e logo aos 7 minutos, Soares (mais uma vez) fez o gosto ao pé. Jogada fantástica na direita, Óliver Torres serve Corona que faz um centro rasteiro para Soares que no coração da área apenas teve que encostar para o golo. Estava feito o primeiro da partida.

O Porto avisava para o que ia, ou seja, conquistar os três pontos, pois vira no dia anterior o Benfica vencer o Chaves. Este golo ilustrou a superioridade que o FC Porto acabou por ter durante toda a primeira parte. Apenas à passgem da meia hora de jogo, Anderson Carvalho obriga Casillas a uma grande defesa, evitando o golo do empate. Até ao intervalo os dragões tiveram três ocasiões de golo. Duas por Brahimi que esteve endiabrado, conseguindo entrar várias vezes na área contrária, passando por dois adversários de cada vez e uma por Soares.

Antes do apito para o intervalo, o ambiente aqueceu a sério. Talocha faz falta dura sobre Corona, ao ponto do mexicano ter sido substituido ao intervalo. O árbitro apita para o final da primeira parte e os dois jogadores pegam-se. Instala-se uma grande confusão no relvado, com vários jogadores e com Alfredo, treinador adjunto do Boavista e Nuno Espírito Santo a pegarem-se e a serem expulsos.

Veio a segunda parte com o Boavista a tentar chegar à frente mas o FC Porto a chegar para as encomendas. Apenas aos 66 minutos os axadrezados criaram perigo na baliza contrária e podiam ter marcado por intermédio de Schembri, mas Marcano corta a bola no momento certo!

O jogo terminou com dez elementos para cada lado. Henrique saiu lesionado aos 81 minutos e um minuto depois Maxi Pereira vê o segundo amarelo e o consequente vermelho.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments