Portugal recebe também campanha “Eu Diogo”

Diogo Farinhoto – Foto: DR

Após colocação de prótese, Diogo, o menino de Caminha que nasceu sem mão, continua a precisar de ajuda. Nova campanha apela por donativos aos portugueses e pode ser vista no Youtube.

Diogo Farinhoto o menino de 3 anos que nasceu sem a mão direita viu recentemente o seu desejo realizado: ter uma mão mioelétrica. Mas Diogo continua a precisar de ajuda! De dois em dois anos a sua prótese tem de ser trocada por causa do crescimento. Esta campanha solidária tem como propósito levar os portugueses a ajudar o menino e a mãe Elisabete a angariar fundos para a colocação das novas próteses.

A causa de Diogo chegou a Espanha e teve um grande sucesso, nomeadamente na Galiza. A agência madrilena Blur quis dar o seu contributo, criando o site www.eudiogo.com que angaria fundos – sem quaisquer fins lucrativos – através de transferência bancária. Este site, “criado de forma despretensiosa”, como se pode ler na sua apresentação, pretende facilitar o contato e ajuda direta entre o menino, a mãe e todos os donatários. Agora, além dos espanhóis, apela-se a que todos os portugueses se juntem ao Diogo.

O vídeo de apoio a esta causa já está online e pode ser visto em 3 versões – português, inglês e espanhol – no canal de Youtube “EU DIOGO”: www.youtube.com/EUDIOGONXT. Uma das grandes preocupações foi desmistificar a ideia da prótese enquanto robô. Em 1950, Isaac Asimov escreveu uma coletânea de contos “I, Robot” que a mãe de Diogo lhe lê todas as noites.

Desde abril de 2011, a mãe Elisabete Farinhoto, tem vindo a impulsionar a recolha de tampinhas usadas para ajudar o seu filho. A prótese que Diogo tem atualmente permite-lhe apenas mover o polegar, indicador e dedo médio mediante um mecanismo que o próprio aciona. A mão mioelétrica funciona como uma pinça que permite que o menino pegue, solte e sustente objetos. Contudo esta prótese é atualizada em cada 2 anos até que alcance a idade adulta, 18 anos, altura em que será instalada uma mão definitiva.  

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments