Portugal Fashion: as melhores fotos acompanhadas pela opinião de Bruno Mendes

Este final de semana, entre 19 e 21 de outubro, depois de marcar presença nas principais capitais da moda, Paris, Nova Iorque, Londres e Milão, sem esquecer a sua passagem pela, cada vez mais cosmopolita, cidade de Lisboa, o Portugal Fashion Primavera/ Verão 2018 voltou ao Porto, cidade berço deste que é um dos mais importantes eventos de divulgação da moda portuguesa, não só por terras lusas, como além-fronteiras.

Nesta, que é já a sua 41ª edição, como não podia deixar de ser, o Portugal Fashion contou com coleções assinadas por alguns dos mais conceituados nomes da moda nacional, do momento, entre os quais: Diogo Miranda, Miguel Vieira, Katty Xiomara, Alexandra Moura, Anabela Baldaque e Ana Sousa, que trouxeram até à Invicta as suas propostas para a estação quente do próximo ano.

Para se juntarem a este elenco de luxo, voltaram a ser convidados jovens designers e estudantes de moda, aos quais foi dedicado o primeiro dia, nesta passagem pelo Porto, em exclusivo. Assim, dando continuidade ao investimento nos talentos emergentes do sector.

Mas as estreias não se ficaram por aqui. Este ano, a moda nacional pisou novos palcos: o Ex-Matadouro Municipal do Porto e o Cais Novo. No entanto, não se esquecendo daquela que, já há muitos anos, tem vindo a ser a sua casa, as principais coleções voltaram a ser apresentadas na Alfândega, espaço já mais do que habituado a receber este evento.

É ainda de destacar o prolongamento da colaboração entre o Portugal Fashion, e a fundação Ronald McDonald, iniciada na última edição, para reunir receitas através da venda de uma boneca vestida pela estilista Katty Xiomara que reverterão para ajudar a fundação.

Mas nem tudo aquilo que se passou nesta 41ª edição pode ser descrito tão objectivamente.

Desfile após desfile vi tanto os olhares mais atentos, como os mais focados no ecrã dos telemóveis, seguirem os modelos como se se tratassem de animais exóticos em exibição, unicamente, para seu deleite. E apesar de ser na passerelle que se foca a atenção da maioria, os bastidores continuam a ser uma das atrações preferidas, enchendo-se de caras conhecidas e de outras que, em grande alvoroço, vão procurando as primeiras.

O som das câmaras fotográficas é uma constante. Uns mais tímidos, outros, nem por isso, poucos se escondem perante a possibilidade de serem imortalizados num qualquer jornal ou revista. Não é coincidência que no Portugal Fashion, o produto mais procurado não seja nenhum casaco de lã, ou vestido de seda, mas a fantasia de, durante uns dias, poder dizer que se fez parte do mitológico grupo de caras que todos os portugueses reconhecem, sem conhecer. Não fosse este um evento onde mais do que ver, se vem para ser visto.

Muitos tiram fotos, enquanto outros tantos esperam pela sua vez para ser fotografados. Mas todos querem um registo da sua passagem por lá. E, assim, sem saber, vão desempenhando o seu papel no espectáculo

Como muitos já tantos disseram, aquilo que vestimos pode refletir quem somos, mas não é algo em que se possa confiar totalmente, pois tão facilmente pode refletir quem aspiramos a ser. O desafio está em saber distinguir entre os dois, o que não é nada fácil. Deste Portugal Fashion Primavera/ Verão 2018 levo uma importante lição: para aqueles capazes dessa distinção, a moda tem a capacidade de desvendar o potencial escondido em nós. Resta-me esperar que aquilo que vejo ao espelho me inspire a procurar ser cada vez melhor, em vez de servir como consolo e incentivo a deixar de procurar melhorar-me, dia após dia.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments