Perceber ou não perceber… eis a questão!

Portugal, aquele cantinho à beira mar plantado… Uma terra onde o ser humano partiu à conquista do mundo… E agora, o que é Portugal?

No meu ponto de vista, Portugal passou a ser um país onde as pessoas com altos cargos (ou os pseudo-wanna-be) andam mergulhados em alucinogénos.

Miguel Gonçalves, o “menino” do “Prós e Contras” com pronúncia do norte, deve ter feito uma viagem com a Alice ao País das Maravilhas… Ou isso ou andou em tournée com o Bob Marley e inalou mais do que o que devia.

Esta semana, o Miguel disse:

“Eu não considero que o problema do desemprego é dos desempregados, estou a dizer é que a solução para o desemprego é dos desempregados. Essa é que é a grande diferença. E, se calhar, pode chocar dizer isto, mas muitos dos que estão desempregados, estão desempregados porque, ponto número um, não querem trabalhar e, ponto número dois, são maus a fazê-lo.”

Sinceramente acho que a única coisa de bom que o Miguel fez na vida dele foi o facto de em menos de 24 horas ter despachado o Relvas para fora do Governo. Como é que ele fez isso? Ninguém sabe, mas toda a gente agradece. Não podem existir coincidências!

Digo o que digo e da maneira que o faço, graças à liberdade que existe no nosso Portugal – alusão clara, ao 25 de Abril que esta semana somou mais um aniversário.

Os discursos no parlamento foram lindos mas o melhor foram as palavras do deputado do PS João Galamba no seu Twitter, onde escreveu que “Cavaco quer cumprir o tratado orçamental mas queixa-se da austeridade generalizada em toda a Europa. É oficial: endoidou”.

Acho que o parlamento já esteve mais longe de um dia se tornar um filme Western. Esperamos pelos próximos episódios.

Por outro lado, as manifestações alusivas ao feriado foram fantásticas e houve mesmo desempregados no Porto que venderam cravos a preço de saldo para não se fugir muito ao ambiente de crise.

O ponto negativo foi que eu – pelo menos eu! – depois de ter passado os últimos meses a ouvir a “Grândola Vila Morena” todos os dias nos telejornais e até a ser cantarolada pelos nosso políticos…  consegui não ouvir a música no dia de hoje.

Felizmente, não liguei a televisão.

Abri o jornal e li.

Sim, porque gosto de ler e apesar de ontem se ter comemorado o dia que assinala a “liberdade”, esta semana também houve o dia do livro… o objecto que nos dá (toda) liberdade mas que infelizmente, grande parte (ainda) rejeita!

É o mundo que temos.

Mas eu, sei o que sei e pouco conta.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments