Passeios Gourmet: Londres de Fusão e Cosmopolita

Quando visitei Londres pela primeira vez há 15 anos, esta cidade era conhecida por oferecer má comida aos visitantes. É claro que nesses tempos os orçamentos eram diferentes e a exigência do palato também.
Agora tudo mudou. Hoje em dia, Londres é provavelmente a cidade europeia mais animada e exigente no que toca à gastronomia.

A cozinha inglesa começou a ser mais respeitada, brilharam mais estrelas na constelação Michelin, surgiram grandes chefes ingleses no panorama mundial (Ramsey, Blummenthal e Oliver, só para referir alguns) e a lista da revista “restaurant” foi paulatinamente vendo Londres a surgir com mais frequência no Top 100 do mundo: São hoje 6, incluindo um até há pouco tempo liderado pelo português Nuno Mendes.
Falar sobre a gastronomia em Londres é elaborar um tratado, pelo que me vou cingir a um tema querido e atual na cena da restauração londrina.

Fruto do seu universalismo secular e imperial, associado a um agradável nível de vida no contexto europeu, a restauração de Londres tem percebido que mostrar o diferente é uma das chaves do seu sucesso. Por causa disso o trabalho na comida do mundo e na cozinha fusão é um dos elementos principais que os restaurantes ingleses oferecem ao cliente. Londres não se preocupa apenas em trazer o mundo para a sua mesa, mas sobretudo a elevá-lo e a interpretá-lo numa matriz cheia de personalidade, como se absorvesse impulsos e os voltasse a lançar com nova energia para o mundo.
Seguem-se algumas sugestões fruto de passeios pelo centro de Londres, nomeadamente Soho e uma escapadinha a Notting Hill:

Plum Valley,
Gerrard St., Chinatown
Restaurante chinês moderno, decorado com tons escuros e intimista, com um serviço regular “à chinesa” e comida de toda a parte da China. Apresenta uma cozinha elaborada e com alguma complexidade, fruto da abrangência geográfica que se propõe servir. Cantão tem um lugar privilegiado no menú.
Tem dois andares sendo que o segundo está mais preparado para grupos de maior dimensão. Partilhar pratos é uma boa opção.

Londres - O ambiente do Princi_
Princi
Waldour St., Soho
Autointitula-se pizzaria, mas é muito mais do que isso. Apresenta-se como uma padaria gigante, mas não é tudo. É um local grande, animado e divertido, com um ambiente muito cosmopolita que serve uma variedade de produtos que nos transportam para Itália. Pão, pizzas, sobremesas, bolos, pratos quentes, vinhos e cervejas.
O ambiente é acolhedor e quente, com madeiras claras e um fontanário a todo o comprimento de uma das paredes, com a água a reflectir alguma tranquilidade a um espaço cheio de energia.

Dehesa
Ganton St, Soho
Transporta-nos para uma bodega espanhola com grandes mesas altas de madeira, tijolo claro e candeeiros imponentes. Privilegia o vinho, sobretudo o espanhol e o italiano. As propostas centram-se no imaginário espanhol, com petiscos para partilhar, enchidos e queijos mas recorre muito à fusão com a gastronomia internacional e inglesa, para que o leque de escolha aumente.
À noite o ambiente transforam-se num local quente e com pouca luz, calmo e descontraído, muito agradável para descansar e conversar.

Londres - Tiborna no Notting Hill Kitchen_
Hotting Hill Kitchen
Kensington Park Rd., Kensington
O espaço dirigido pelo Chef Luís Baena é uma surpresa e um marco na contribuição portuguesa para esta fusão de que Londres está a ficar especialista. Com várias salas monocrómicas e com decoração minimalista e relacionada com vinhos portugueses, oferece uma lista pequena mas cheia de personalidade onde as propostas de origem portuguesa acabam sempre por dominar.
Sem cair em clichés ultrapassados, a cozinha e as sobremesas deste restaurante valorizam as matérias-primas ou as receitas nacionais da forma que é precisa para Portugal entrar no mapa.

Há muito para escrever sobre Londres… isto é só o princípio!

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments