Passeios Gourmet: Gin Fashion

A preparação de um Gin premium

Não é só na roupa, no turismo, nos carros, nos restaurantes ou na noite que as coisas estão na moda. No mundo gastronómico e nas bebidas também. A bebida mais fashion em Portugal em 2013 é o Gin. E em 2014 deverá continuar.

As tendências não surgem do nada e a moda do Gin em Portugal vem de um trabalho que há alguns anos começou em Espanha. Os nossos vizinhos passaram por uma moda anterior que pouco nos afetou, o Rum, mas o Gin implantou-se com muito sucesso.

Este ano foi possível ver muitas casas especializadas em Gin a abrir ou a afirmar-se, com centenas de ofertas. Quando pensávamos que o mundo era feito de Larios, Gordon’s, Beefeater e Bombay, com Hendricks à cabeça, eis que somos surpreendidos por um mundo de sabores e aromas que nos desperta a alma com frescura.

O que o Gin nos oferece neste momento é um conceito, apresentação e sabor premium, por contraponto ao “gin tónico” que nos fartamos durante anos de pedir em bares e discotecas.

Com este upgrade, muda tudo. Muda o copo em que a bebida é servida, surge uma panóplia de novos gins de todas as origens (Inglaterra, Escócia, França, Espanha, Suécia e outros locais, incluindo Portugal), as águas tónicas passam a assumir um papel muito mais relevante de adição de complexidade à bebida e surge uma diversidade de complementos à casca de limão, com cada Gin a promover os seus botânicos principais incluídos na bebida para maior expressão do Gin.

O serviço tem evoluído com a oferta. Quando nos deparamos com uma montra com dezenas de propostas e não conhecemos nada, é muito difícil escolher. Felizmente, tenho encontrado barmans e marmaids muito conhecedores do que possuem no balcão e prontos a ensinar e a ajudar na opção. O mundo do Gin está a fazer um bom trabalho de formação, que se reflete no serviço e nas vendas.

Os botânicos usados no Gin

O Gin é um destilado fresco e acutilante, com sabores suaves que equilibram a presença do álcool. É destilado ou aromatizado com uma complexidade de plantas, frutos, bagas, especiarias e ervas que se denominam os “botânicos”. Estes vão conferir complexidade, frescura e diversidade ao destilado, tornando os gins diferentes entre si.

Martin Miller’s: é a nova referência no mundo do Gin premium e uma boa forma de começar a provar. Com um final seco e fresco, usa cerca de 10 botânicos na sua destilação, onde se destacam a raspa de limão e o zimbro, elemento essencial na destilação de todos os gins.

Hendricks: Este Gin, clássico e presente no mercado há muitos anos, é conhecido por usar pepino como o botânico principal, o que confere um sabor especial e diverso da concorrência. É bastante seco, com um final muito aromático, no campo dos vegetais.

Saffron: Marcado pela especiaria que lhe dá nome, açafrão, tem uma cor e aroma que nos faz viajar para oriente e para o exótico. É um Gin suave e delicado, muito diferente do que estamos habituados. Convêm começar por outros gins antes de chegar a este.

The Botanist: Um Gin complexo e poderoso, com um final seco e muito prolongado, usa mais de 30 botânicos na sua composição. Uma complexidade de citrinos é o elemento principal do conjunto de botânicos usados neste Gin.

Magellan: De origem francesa, tem uma abordagem doce e refrescante. É azul, o que confere uma cor diferente dos outros gins habitualmente transparentes. Prevalece o sabor e aroma a maça verde e lima como botânicos principais. Tem um final prolongado.

G Vine: Aromático, doce e floral, este gin é muito elegante e dedicado. Possui um aroma muito intenso e apaixona logo pelo nariz, ainda antes de começarmos a beber. Na boa revela-se doce e delicado. A uva é um dos botânicos principais.

O Gin é a bebida mais fashion em Portugal este ano. É importante não ter medo de começar a provar este mundo de sabores e aromas que tem muito para descobrir. Com amigos, com um livro ou actualizando a rede social e aproveitando o ambiente à nossa volta.

Boas provas!

Texto e foto de Paulo Russell-Pinto

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments