Passeios Gourmet: Cresce influência portuguesa nos melhores restaurantes do mundo

Foi ontem anunciada em Londres a lista deste ano dos 100 melhores restaurantes do mundo, organizada pela revista Restaurant e patrocinada pela água S. Pellegrino. Este é um dos dois momentos mais importantes do ano no que toca à gastronomia, comparável à divulgação do guia Michelin, habitualmente no final do ano.

José Avillez
José Avillez

Temos motivos para estar contentes pois é um momento histórico para Portugal! Passamos a ter dois restaurantes nesta lista. Em 100! Ao Vila Joya de Dieter Koshina, que se mantinha sozinho na lista há vários anos, junta-se agora o Belcanto de José Avillez. Avillez foi distinguido com duas estrelas no final do ano passado e agora vê o seu trabalho mais uma vez reconhecido, tal como já tinha escrito aqui numa crónica anterior.

A notícia menos boa é que o Vila Joya caiu vários lugares. Não acho que seja motivo para ficar triste porque só a presença numa lista tão restrita é motivo de orgulho. Neste caso, temos agora dois orgulhos!

Irmãos Roca
Irmãos Roca

Mas então qual é melhor restaurante do mundo? O Celler de Can Roca, de Girona, voltou a tomar o lugar que já lhe pertenceu. O Noma, de Copenhaga caiu para terceiro e a Osteria Francescana, de Modena, subiu para segundo. Nos três primeiros lugares foi uma dança de cadeiras, mas o quarto apresenta a primeira surpresa com a subida meteórica do Central, de Lima, Perú, a saltar do décimo quarto para quarto lugar. O quinto posto ficou reservado para o primeiro representante da América do Norte, o Eleven Madison Park, em Nova Iorque.

Entre surpresas, alegrias e desilusões, assim se fez mais uma edição dos 100 melhores restaurantes do mundo, cuja lista pode encontrar neste site.

Paulo Russell-Pinto

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments