O espectáculo com o título supracitado, que os potenciais espectadores poderão ver em estreia a partir do dia 22 de Fevereiro, coincidentemente no Armazém que ostenta esse mesmo algarismo da data da première no número de polícia das suas instalações, em Gaia, é um tributo à condição humana, em todo o seu esplendor. “Eis o Homem” estará em cena no Armazém 22, de dia 22 de Fevereiro até 18 de Março, de quarta a domingo, sempre às 21h46.

O último trabalho da Palmilha Dentada é assim descrito pelos intervenientes:

“Eis o Homem! Em toda a sua glória, em toda a sua essência. O homem, esse animal bruto e belo que é impossível de quantificar, porque é eternamente unidade, medida de todas as coisas.”

Trata-se de um regresso da companhia portuense ao conceito de café-teatro, que tanto marcou a carreira e por conseguinte o modelo de (a)representação dos espectáculos da ‘Palmilha’. Deste modo, a peça terá dois intervalos e o espectador terá permissão para beber um copo enquanto se dedica a (usu)fruir da peça. Saliente-se, que em termos de conteúdo versado, é um espectáculo para adultos.

A autoria deste trabalho é tributária do núcleo duro que desde sempre fez suar a Palmilha: Ivo Bastos, Ricardo Alves e Rodrigo Santos. Conta com o apoio de Inês Mariana Moitas. O espectáculo vai ganhar lastro até 18 de Março e nessa escala de proporção, vai encarecer paulatinamente, como adiante explicitamos.

No princípio… era a verba!

Esta temporada marca também o regresso da companhia ao “Preço Simpático”. Sendo o preço único de €8 por pessoa, a companhia dá no entanto ao público a possibilidade de solicitar o preço simpático e pagar €10 pelo ingresso, porque a amizade é uma via de dois sentidos.

O preço simpático é uma política da companhia desde 2012, quando durante a grave crise financeira vivida no país, a companhia optou por baixar o preço dos seus ingressos como forma de facilitar ao público o acesso à cultura num momento de menor rendimento disponível. O público era no entanto convidado a pagar um preço mais elevado, caso considerasse que para isso tinha disponibilidade financeira, tendo na altura cerca de 30% do público aceite o desafio e pago o preço simpático 50% mais caro que normal.

E porque a temporada é longa e sabemos que os portugueses gostam de deixar tudo para a ultima, resolvemos castigar os procrastinadores subindo o preço dos bilhetes normais 50 cêntimos em cada semana. Aliás combater a procrastinação devia ser um desígnio nacional e não só da Palmilha Dentada.

Neste espectáculo – e por ser café teatro – é oferecida com cada bilhete, normal ou simpático, uma bebida para consumir no bar instalado no interior do Armazém 22 que será transformado em café-teatro. Depois da primeira poderão beber outras mas pagam. Aliás o espectáculo irá ter dois intervalos precisamente para isso, não porque dramaturgicamente seja importante.