“Music-Hall” no Carlos Alberto revela a vida dos atores

Music-Hall ®Susana_Neves-TNSJ

“Music-Hall”, peça na qual os atores falam da sua própria profissão, estreia esta sexta-feira no Teatro Carlos Alberto.

Maria do Céu Ribeiro é uma “Rapariga”, atriz que teve há muito os seus momentos áureos e evoca as antigas digressões que se foram sucedendo ao longo dos anos, acompanhada por dois “Boys” (Paulo Mota e António Júlio). Os três falam dos percalços da vida de ator e da precariedade do mundo artístico, oscilando entre uma leve melancolia e a ternura pela profissão.

O texto da peça é uma espécie de “banquete” em honra das memórias de grandezas e misérias das digressões que o próprio autor, Jean-Luc Lagarce, viveu. À data da sua morte, em 1995, Lagarce era um encenador conhecido, mas um dramaturgo ainda ignorado. Desde o seu desaparecimento que a sua notoriedade não parou de aumentar, sendo hoje considerado um dos nomes maiores da dramaturgia contemporânea.

Para o encenador, Rogério de Carvalho, “Music-Hall” é “o espetáculo do espetáculo, o que significa uma homenagem aos fazedores do teatro, nomeadamente aos atores”.

Music-Hall é uma coprodução do Teatro Nacional São João com a companhia As Boas Raparigas. Está em cena até 1 de março, às quartas-feiras, às 19h00, de quinta a sábado, às 21h00, e, aos domingos, às 16h00. Os bilhetes podem ser adquiridos por 10 euros.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments