Goleada portista com trivela certeira de Quaresma

porto paços ferreira festejos

O FC Porto fez uma exibição de classe, frente a um Paços de Ferreira motivado pela vitória no seu reduto, no último encontro frente ao Benfica. O jogo teve apenas um sentido, o da baliza de Rafael Defendi que fez o que pôde.

A vantagem portista antes de começar a partida era saber qual o resultado de Benfica e Sporting. O fator negativo era saber que ambos venceram as suas partidas e que não podia perder pontos.

A superioridade portista foi demais evidente, como se pode ver pelo número de golos marcados, pelas oportunidades desperdiçadas e por ter permitido o primeiro remate dos “castores” apenas aos 48 minutos. Ao intervalo a partida estava praticamente sentenciada, fechando com uma obra prima de Quaresma, mas já lá vamos.

Desde cedo que o Porto ligou o turbo para a frente de ataque. Logo aos 4 minutos, Herrera, no meio da grande área, atrapalha-se e não consegue rematar à baliza. Dois minutos depois é a vez de Óliver Torres a rematar de cabeça, dentro da área contrária, mas a bola a sair muito perto do poste esquerdo de Rafael Defendi.

Aos 16′ Jackson Martinez faz um remate em arco que leva muito perigo à baliza do Paços. A bola volta a passar muito perto do poste esquerdo. O primeiro golo viria aos 28′, com sabor colombiano. Jackson Martinez aproveita uma falha do guardião dos “castores”, que sai em falso à bola e o capitão portista aproveita e marca.

Depois é a magia de Quaresma que enche o estádio, marcando dois golos até ao intervalo. O primeiro pessoal, segundo da equipa, é fruto da conversão de uma grande penalidade. Já o segundo, terceiro da equipa é um hino ao futebol. À entrada da área, o “Mustang” faz um remate de trivela, com a bola a ir colocada para a baliza, sem dar qualquer hipótese de defesa a Defendi. Quer a repetição? Veja na net.

O início da segunda parte trouxe novo golo azul-e-branco, desta feita por Herrera, que beneficiou de um mau passe de Rodrigo Galo. Desta vez foi Jackson Martinez que assistiu o mexicano, do lado esquerdo.

O minuto 48′ trouxe o primeiro remate do Paços de Ferreira, equipa que veio um pouco mais à frente na segunda parte, mas sem pretextos para colocar o FC Porto em sentido.

O marcador viria mais uma vez a ser alterado. Tello marca um livre de forma repreensivel e coloca a bola no fundo da baliza do Paços. Ficam os cinco zero para a história.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments