Fantasporto: Quebrar o “Gelo” em português

A antestreia mundial do filme “Gelo”, de Luís e Gonçalo Galvão Teles, dá hoje o pontapé de saída da secção competitiva da 36.ª edição do festival internacional de cinema do Porto – Fantasporto, no Teatro Municipal do Rivoli, marcado pela ausência do diretor Mário Dorminsky que se encontra hospitalizado na sequência de um acidente vascular cerebral (AVC).

Em português se fala no arranque oficial do festival. Luís Galvão Teles, realizador de “Dot.com”, um dos filmes de maior sucesso do cineasta, vem de novo à cidade Invicta – já foi homenageado pelo “Fantas” – para quebrar o “Gelo”. Este novo filme, “nascido do ADN de um corpo da idade do gelo”, cuja metamorfose é encarnada por Ivana Baquero, atriz de “O labirinto do fauno” de Guillermo del Toro, cruza-se com o passado da protagonista principal, Catarina. Afonso Pimentel, Albano Jerónimo, Ivo Canelas e Ruth Gabriel são outros atores da idade do “Gelo”, agendado para as 21h00 no Grande Auditório.

Na conferência de imprensa de apresentação do festival, o realizador português disse tratar-se de um “filme de atores, um filme de imaginação, um filme de descoberta, que pede ao espectador que viva duas vidas numa vida só”.

Às 23h15 é exibido Into the Forest, da canadiana Patrícia Rozema, filme de encerramento oficial de Sitges com Ellen Page, atriz de “Inception” e nomeada para um Óscar por “Juno”.

Como alternativa, no Pequeno Auditório podem ser vistos “The nesting”, de Quinn Saunders (21h15), e “Livin’ Out Rock ‘n’ Roll”, de Paolo Sedazzari (23h15).

Ao longo do fim de semana, os seguidores do “Fantas” podem deliciar-se com obras carregadas de “fantástico”.

O sábado arranca com “The Lesson”, de Ruth Pratt (14h45), um dos mais badalados filmes de terror do ano na Grã -Bretanha. Às 19h00, pode ser visto o surpreendente “Francesca”, do argentino Luciano Onetti, filmado em modo anos 70. À noite (23h00), o foco é em “Prisoner X”, de Gaurav Seth, com Julian Richings de “Hannibal” e Michelle Nolden de “Red”.

Para domingo, a tarde começa com “Hellions”, de Bruce MacDonald, às 15h00, filme considerado pelos media como do melhor do FrightFest. Os espelhos entram em cena em “Queen of Spades the Dark Rite”, de Svyatoslav Pogdayevskiy, às 17h00, uma produção russa que dá “cartas” nos perigos de uma casa dominada pela “Rainha de Copas”. No primeiro filme da noite, às 21h00, fala-se de novo em português com “A Floresta Que Se Move/The Moving Forest”, do brasileiro Vinícius Coimbra, com os atores Ângelo António e Ana Paula Arósio, bem conhecidos na nossa praça pelas suas interpretações em telenovelas. Às 23h00, é exibido “The Unfolding”, de Eugene McGing, um filme em “prime time” numa casa assombrada.

Recorde-se que Mário Dorminsky, um dos fundadores e diretores do Fantasporto, foi hospitalizado, esta semana, na sequência de um AVC, não tendo estado presente no arranque do “pré-Fantas”.

O evento vai ainda distinguir Nicolau Breyner como homenageado português do ano.

A 36.ª edição do “Fantas” arrancou, esta segunda feira, com o início da retrospetiva dedicada ao realizador macedónio Milcho Manchevski e com produções latino-americanas.

O 36º Fantasporto – Festival de Cinema do Porto realiza-se até 6 de março com a exibição de 158 filmes de 40 países, apresentando 41 estreias mundiais e europeias e com a presença de mais de duas centenas de personalidades do cinema de todo o mundo.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments