Fantasporto “inédito” com 48 antestreias mundiais e europeias

DSC_0280

A 35.ª edição do Fantasporto, que se realiza entre 24 de fevereiro e 8 de março no Teatro Municipal do Rivoli, no Porto, é “inédita no panorama português cinematográfico”, afirmou o organizador Mário Dorminsky, na conferência de Imprensa de apresentação do certame realizada hoje naquele local, tendo em conta as “48 antestreias mundiais e europeias”.

“Já no ano passado tivemos muitas, mas para esta edição temos mais ainda, o que significa que há um respeito internacional na relação direta com o festival”, frisou o responsável pelo “Fantas”, acrescentando que “este número de obras inéditas só acontece em festivais de classe A, como San Sebasntian, Berlim ou Cannes”.

Ao longo do festival serão exibidos 173 filmes, 69 longas-metragens e 104 “curtas” nas 105 sessões a terem lugar no Grande Auditório e Pequeno Auditório do Rivoli. São 28 países – 52 enviaram filmes para seleção – representados na edição de 2015, entre os quais Portugal que se se apresenta com 57 obras.

“Hae Moo”, filme sul-coreano de Shim Sung-Bo candidato às nomeações dos Óscares, é a escolha para filme de abertura oficial do “Fantas”, enquanto “Patch Town”, do canadiano Craig Goodwill, será exibido na sessão de encerramento do evento.

Na competição ao Prémio de Cinema Fantástico estarão na corrida 27 longas-metragens e 19 curtas-metragens, sendo que a maioria dos filmes selecionados só serão lançados para os mercados mundiais este ano.

Segundo Mário Dorminsky, “o Fantasporto continua a crescer e a ser reconhecido lá fora, é um diamante em bruto, numa altura em que se está a viver um momento alto do cinema fantástico”.

Na Secção Oficial Semana dos Realizadores/Prémio Manoel de Oliveira, os filmes selecionados vão de trhrillers clássicos a filmes de ansiedade e rejeição como “White Settlers” ou de violência urbana como “One on One”.

Da sempre expectável secção Orient Express, em que se destacam vários filmes das Filipinas, à “Première & Panorama”, com 13 longas-metragens e quatro “curtas”, são várias as opções para os devotos do “Fantas”.

A retrospetiva dedicada a uma personalidade do cinema português recaiu em Fernando Vendrell, realizador e produtor. Também o Prémio de Cinema Português – Melhor Filme e Melhor Escola de Cinema se vai realizar com uma seleção de 16 filmes inéditos a concorrerem pelo prémio.

No “Fantas Classics”, as homenagens são para Fred Astaire e Ginger que celebram os 80 anos de “Top Hat”, bem como para Orson Welles, pelos 100 anos de “Citizen Kane”.

Mário Dorminsky referiu ainda que, à semelhança de outras edições, “o Turismo de Portugal não atribuiu qualquer verba ao Fantasporto”, não tendo recebido qualquer resposta, ao contrário “de outro festival que por ter casino teve apoio do Turismo”.

Os bilhetes têm um custo de 5 euros (7 euros para duas sessões seguidas).

Todas as informações do Fantasporto na página do Facebook do festival.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments