Fantasporto: Alguém entende os suicídios de Bridgend?

O fenómeno de Bridgend, uma localidade galesa onde continuam a ocorrer suicídios inexplicáveis, chegou ontem à noite ao Fantasporto.

O fenómeno de Bridgend, uma localidade galesa onde continuam a ocorrer suicídios inexplicáveis, chegou ontem à noite ao 36.º Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto. O filme homónimo foi tenso, mas imperceptível.

“Bridgend”, que usa como título o nome de uma localidade mineira no País de Gales, foi a primeira obra de Jeppe Ronde e, a avaliar pela reação do Rivoli, o realizador dinamarquês ainda tem muito para aprender.

É difícil abordar uma situação real que na realidade ainda não foi explicada, mas o enredo desconexo deixou uma sensação de estranheza sobre o filme e não sobre o fenómeno que ocorre na desconhecida.

De ritual pagão ao culto do suicídio, as várias teorias foram encarnadas pelas mesmas personagens, ao longo de uma hora e meia em que ninguém na plateia terá entendido metade do que passava no ecrã.

É, sem dúvida, um forte candidato a pior filme do Fantas deste ano.

Jornalista convidado: João Miguel Ribeiro

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments