Desejo sexual dos homens portugueses tem diminuído

Os homens portugueses andam insatisfeitos na cama

Um estudo divulgado esta segunda-feira traça o retrato dos portugueses a nível sexual. E há desde logo duas conclusões a tirar. O cansaço e o stresse são factores que têm diminuído o desejo sexual dos homens portugueses.

O “Estudo transcultural sobre os factores associados ao interesse sexual masculino” foi apresentado hoje no Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), em Lisboa. 10,5% dos homens portugueses têm sido afectados por um menor apetite sexual.

Dividindo o estudo por faixas etárias, constata-se que a que se situa entre os 30 e os 39 anos é a mais afectada – mais de 24%. Muitos destes portugueses costumam estar mais de dois meses sem qualquer relação sexual.

Outras razões são apontadas neste estudo como justificação da ausência do interesse sexual como o parceiro ser sexualmente passivo, uma masturbação excessiva, conflitos relacionais, problemas de comunicação, relações de longa duração ou mesmo uma utilização prolongada da pornografia.

Como conclusão, pode ler-se que “homens com elevados índices de ansiedade e depressão, baixa auto-confiança na função eréctil e elevado nível de aborrecimento sexual têm mais probabilidade de referir ausência sde interesse sexual”

Este estudo teve por base um inquérito online realizado a 5255 homens, 2863 dos quais portugueses, 1735 croatas e 657 noruegueses.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments