Crónica: Uma agradável surpresa!

Daniel Mota ganhou no Porto. Vai ser o cabeça de lista, seguido por Diana Barbosa, que já publicou uma cronica aqui “E Se?” Em terceiro surge Ricardo Sá Fernandes, o único mediático. Em quarto Mariana Topa, Jorge Morais em quinto, e em sexto Manuela Juncal.

Aqui o vosso fiel narrador também concorria a um lugar elegível mas ficou fora dos seis primeiros, longe das hipóteses de ser eleito, portanto. É que no Porto, atendendo às expetativas mais otimistas, nas legislativas conseguiremos eleger dois deputados pelo L/TDA. Um pelo menos é possível.

Mas já lá iremos. É imperativo falar também do resto do pais. Nos vinte e dois círculos eleitorais, foram validadas 2.096 votações, (longe dos 7 mil inscritos) em modo presencial, por correspondência, e via e-mail. A primeira experiência de primárias abertas para deputados e da cyberdemocracia em Portugal.

Na capital, sem surpresas, ganhou Rui Tavares, grande obreiro desta epopeia que é o LIVRE, que mais tarde alterou o nome para LIVRE/Tempo de Avançar. Desbravando caminhos difíceis, para cultivar nos portugueses a democracia ativa e participativa. Experiência essa ganha enquanto eurodeputado lidando com culturas e povos diferentes.

Ana Drago ficou em segundo o que também não foi surpresa, com Castro Caldas em terceiro e Filipa Vala em quarto. Embora as mulheres tivessem ficado em segundo e quarto lugar em Lisboa e Porto, na media nacional, atingiu-se a paridade em onze círculos eleitorais onde a cabeça de lista é mulher e onze círculos eleitorais onde o cabeça de lista é homem. Uma agradável surpresa, mas não podia ser de outra maneira.

Estas primárias abertas mais que uma porta, foi um portão de hangar que se abriu para os cidadãos, e que cabe aos cidadãos manter aberto. E escolher, entre nós, os iguais a nós. O que nos leva ao Daniel Mota e ao primeiro lugar no Porto. Solicitador de profissão, propôs-se a fazer diferente, fazer mais, fazer entre iguais e candidatou-se. Foi a surpresa e a confirmação que destas eleições podem sair nomes de ilustres desconhecidos que muito tem a dar ao Pais com as suas ideias.

Daniel Mota é um deles. Calmo e ponderado, com os pés bem assentes na terra. Ainda lhe faltam dois anos para entrar nos quarenta. Mas entrou hoje para a historia do L/TDA e da democracia portuguesa ao encabeçar a lista do Porto do LIVRE/Tempo de Avançar. E por isso vale a pena acreditar que com um compromisso forte e um programa à medida, o cidadão Daniel Mota vai conseguir os cerca de 41 mil votos para ser eleito pelo Porto. Mas acreditamos que no Porto conseguirá pelo menos o dobro e com isso eleger a segunda candidata da lista, Diana Barbosa. Que seria uma excelente parceira para o Daniel Mota, e para os outros três ou quarto eleitos por Lisboa e assim ficando com um grupo parlamentar de grande nível e com inquestionável dedicação à causa publica. Como são todos os visados aqui nesta crónica.

Por isso começa já hoje a campanha para as legislativas, (começou logo a partir do momento que a comissão eleitoral citou o nome do Daniel Mota), que se irá agora apresentar aos cidadãos, para merecer a sua escolha nas legislativas em Outubro. Na parte que me toca, o Daniel tem todo o meu apoio, ficasse em que lugar ficasse, claro que ficando em primeiro a sensação é outra, mas será sem duvida mais trabalhoso e cansativo, e por isso sempre mais saboroso.

Mas mais que uma vitoria do Daniel foi a vitória do cidadão anónimo, do L/TDA e de todos os que estão contra as medidas drásticas implementadas por este governo. Hoje respondemos com democracia. Amanha respondemos no Parlamento. Parabéns Daniel e Força.

Sérgio Monteiro
Membro e Candidato L/TDA

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments