No primeiro jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões, o FC Porto não conseguiu confirmar o seu favoritismo e acabou por empatar a uma bola, em casa, frente a um modesto Copenhaga, que ainda não tinha perdido qualquer jogo nesta época e que continua invicto.

Depois de eliminar no play-off de acesso à Liga milionária o Roma, o FC Porto teria em teoria uma missão mais facilitada frente ao Copenhaga, neste que foi o primeiro jogo do Grupo G.

Os dragões apresentaram-se num 4x3x3, com apenas um ponta-de-lança, André Silva, ao contrário do que aconteceu no último encontro com o Vitória de Guimarães, onde apresentou dois pontas-de-lança.

A primeira jogada de perigo foi do Copenhaga, uma cabeçada de Federico Santander a que Casillas respondeu com uma grande defesa para canto. Mas o Porto respondeu com um golo espetacular ao minuto treze. André Silva ganha a bola num ressalto na zona da grande área, toca de calcanhar para Otávio que faz um potente remate à entrada da área, sem hipótese de defesa para Olsen.

O Copenhaga reagiu a seguir ao golo portista, mas foram apenas dez minutos, mas sem nunca ter levado verdadeiro perigo à baliza de Casillas.

O Porto continuou a dominar a partida, tendo até criado uma situação de perigo na baliza contrária, quando Corona, pela direita, entra na área e centra rasteiro para o meio da grande área, onde aparece atrasado André Silva!

A segunda parte abre praticamente com o golo do Copenhaga, por intermédio de Andreas Cornelius que de cabeça faz o empate aos 51 minutos.

Sete minutos depois, o Copenhaga leva perigo à baliza contrária, por intermédio de Federico que faz passar a bola muito perto do poste direito da baliza de Casillas, porque bate num jogador portista e vai para canto.

Minuto 65 e o Copenhaga fica reduzido a dez elementos porque Gregus vê o segundo cartão amarelo, desta feita por falta feia sobre Otávio.

Mesmo em superioridade numérica, a missão do FC Porto não ficou mais facilitada. A equipa do Copenhaga baixa no terreno e dificulta ao máximo a onda ofensiva azul e branca. Mesmo assim, o Porto acaba por se instalar no terreno da equipa forasteira, com muitos cruzamentos para a área e tentativas de entrada na grande área.

O jogo termina com o FC Porto a encostar o Copenhaga às cordas, com muitas jogadas ofensivas, mas sem conseguir marcar o golo da vitória.

Onze inicial do FC Porto: Iker Casillas, Alex Telles, Marcano, Felipe, Layún, Óliver Torres, Danilo, Herrera (c) (Brahimi 69’), Otávio (Diogo Jota 81’), Corona (Depoitre 61’) e André Silva.
Treinador: Nuno Espirito Santo

Onze Inicial do Copenhaga: Robin Olsen, Augustinsson, Johansson, Kvist, Delaney (c), Cornelius, Gregus (Antonsson 90’), Santander (Verbic 68’), Ankersen, Toutouh (Falk 75’), Jorgensen.
Treinador: Stale Solbakken

Cartões amarelos: Ján Gregus (11’ + 65’).

Árbitro: Matej Jug

Resultado: 1-1 (Otávio 13′), (Cornelius 51′)

Estatística:

FC Porto
Ataques: 43, faltas cometidas: 4, livres: 2, cantos: 6, foras de jogo: 5, remates à baliza: 4, remates ao lado: 5

Copenhaga
Ataques: 21, faltas cometidas: 13, cantos: 3, remates à baliza: 2, remates ao lado: 2

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments