A Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitectura vai abrir as portas no dia 16 de junho de 2017, em Matosinhos, com a inauguração da exposição “Poder Arquitectura”, comissariada por Jorge Carvalho, Pedro Bandeira e Ricardo Carvalho. A novidade foi comunicada esta sexta-feira em Veneza, Itália, durante a sessão de encerramento da Representação Oficial Portuguesa na 15ª Exposição Internacional de Arquitetura La Biennale di Venezia 2016.

O imóvel destinado à CASA DA ARQUITECTURA está localizado em Matosinhos e ocupa o quarteirão limitado pela Av. Menéres, R. Mouzinho de Albuquerque, R. Sousa Aroso e R. D. João I. Estas eram umas instalações fabris, edificadas entre 1897 e 1901 destinada à Real companhia Vinícola.

A apresentação do projeto e do programa da Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitectura foi feita pelo Diretor Executivo da instituição, Nuno Sampaio, numa sessão em que também estiveram presentes os comissários da exposição “Poder Arquitectura”, o responsável pelo programa paralelo à exposição, Roberto Cremascoli, o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos, Fernando Rocha, o presidente da Ordem dos Arquitectos, João Santa-Rita e a Diretora Geral da Artes, Paula Varanda.

real-vinicola-3d_Nuno Sampaio enfatizou que “a Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitetura contribuirá para que a arquitetura possa cada vez mais assumir o papel que lhe cabe no contexto nacional e internacional, valorizando o melhor da sua produção na melhoria do ambiente construído e da qualidade de vida dos cidadãos, e relevando-a como recurso cultural estratégico de Portugal no Mundo e do Mundo em Portugal.”

“Poder Arquitetura”, a exposição que inaugurará o equipamento, apresentará quatro dezenas de projetos ilustrativos da relação da arquitetura com oito poderes que se alinham, infletem, divergem entre si e influenciam o modo como o mundo construído se ordena. Entre os projetos selecionados contam-se obras de Álvaro Siza, David Chipperfield, Eduardo Souto de Moura, Herzog & De Meuron, João Luís Carrilho da Graça, Manuel e Francisco Aires Mateus, Michael Maltzan, Oving Architekten, Peter Soderman, Paulo Mendes da Rocha, Rem Koolhaas, Valerio Olgiati, Vijitha Basnayake e Witherford Watson Mann.

Para além desta exposição, e do programa paralelo “Please Share”, foram ainda apresentadas as mostras “Arquitetura Portuguesa de 1974 a 1999 – 25 anos de Democracia em Portugal”, coordenada por João Belo Rodeia, e “Coleção Arquitetura Brasileira”, comissariada por Guilherme Wisnik e Fernando Serapião.

A Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitectura é, recorde-se, um projeto de âmbito nacional dedicado à divulgação, ao arquivo e à valorização da arquitetura. No seu acervo estão já representados, entre outros, projetos e maquetas dos três Prémios Pritzker de língua portuguesa: Álvaro Siza Vieira, Eduardo Souto de Moura e Paulo Mendes da Rocha.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments