créditos: Filipa Brito

Foi esta quarta feira apresentado pela Câmara do Porto um projeto bastante ecológico, bastante verde, com o objetivo de plantar dez mil novas árvores até 2021 em espaços alternativos da Invicta.

Chamam-se Biospots os 14 espaços, distribuidos pelos principais eixos circulantes da cidade, nomeadamente nós, taludes e áreas verdes laterais. Ao todo, haverá uma área útil de 17 hectares.

O Nó do Regado será o local da primeira intervenção, onde serão instaladas 800 novas plantas, durante os próximos dois meses, plantas essas produzidas no Viveiro Municipal do Porto.

Esta iniciativa – Rede de Biospots do Porto – faz parte do programa Florestas Urbanas Nativas do Porto (Fun Porto), que tem como objetivo plantar cem mil árvores na Área Metropolitana do Porto.

A Via de Cintura Interna (VCI), mais concretamente vários nós, como Francos, Regado, Freixo e a Quinta de Salgueiros, estão incluidos nesta distribuição de árvores. Visto que há zonas de plantação de árvores que estão sob a alçada das Infraestruturas de Portugal, esta entidade assinou um protocolo de colaboração com a Câmara Municipal do Porto e com a AMP.

Toda esta iniciativa visa “promover a biodiversidade, a adaptação da cidade às alterações climáticas e a amenização paisagística, enquanto assim a estratégia da Câmara na área da sustentabilidade ambiental”, informou a autarquia do Porto.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments