A promessa de Armando Teixeira era de se divertir acima de tudo, não só conseguiu como ainda cortou a meta em 2.º lugar, após 16h em prova no Ultra Trail Atlas Toubkal. Foram 105 quilómetros e 6500 metros de desnível positivo percorridos no Parque Nacional de Toubkal a 70 km a sul de Marraquexe, em Marrocos. O atleta da Salomon Suunto deparou-se com com vários obstáculos como a altitude, a variação de temperatura e o terreno técnico, mas conseguiu superá-los.

No início andou entre o primeiro e o segundo lugar, mas aos 68 km tomou a decisão de abrandar o ritmo, pois estava a sofrer com na ascensão aos cumes dos 3000 metros, dando a liderança ao italiano Daniel Jung que cortou a meta em primeiro lugar.

“Arrisco em dizer que foi a prova mais difícil aqui fiz por vários motivos, tanto fisicamente como mentalmente. O efeito altitude, perto de 5 cumes acima dos 3000m, sendo o ponto mais alto os 3700m, foi uma das maiores dificuldades. A distância entre abastecimentos, obrigava a uma gestão de líquidos e de sólidos. Para finalizar um percurso hiper técnico, com subidas e descidas vertiginosas, por exemplo a descida do ponto mais alto, em 4 km descemos 2000m, nunca vi nada assim.

 “Foi uma das provas mais bonitas que fiz. Não tem comparação com as provas da Europa, aqui tudo é muito simples e o choque cultural é enorme. Passar nas aldeias Berberes e perceber que vivem com tão pouco faz-nos repensar no que somos e o que necessitamos para ser felizes,” acrescentou Armando.

A portuguesa Natércia Silvestre dividiu o pódio com Armado.

Miguel Silva

Miguel Reis e Silva foi convocado para participar no Campeonato da Europa de Skyrunning e foi o 3.º melhor português em prova, classificando-se em 105.º com um tempo de 4h08. O atleta da Salomon Suunto que costumava ficar entre o 25.º e o 30.º nas provas internacionais da ISF quando treinava mais a sério, mas desde que a medicina lhe ocupa mais tempo que baixou muito o rendimento. O atleta da Salomon Suunto Portugal nunca tinha corrido em Gorbeia, mas já conhecia os trilhos do país Basco. Esta prova de 31 km com 2400 metros de desnível, Miguel classificou-a como de “autêntico montanhismo”. De uma dureza e beleza incomparáveis.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments